19/11/18
 
 
Governo prepara concurso público para compra de novas carruagens

Governo prepara concurso público para compra de novas carruagens

Cristina Rita 11/07/2018 17:01

O executivo já deu luz verde para a contratação de mais 50 trabalhadores na EMEF, empresa de manutenção e equipamento ferroviário, mas pode não chegar, sobretudo no período de férias de verão

A CP vive momentos difíceis, sem carruagens suficientes ou trabalhadores, mas o Governo, para já, só se compromete com um concurso público para a aquisição de material. O secretário de estado das infraestruturas,Oliveira Martins, anunciou que se trata de um concurso para a compra “de material circulante”, mas as carruagens só estarão disponíveis para os utentes em 2020 ou 2021. O concurso integra-se no programa ferrovia 2020, criado em 2016, mas o governo não revela quantas carruagens serão adquiridas ou os custos”. “Está a ser elaborado o caderno de encargos”, disse ao i fonte do ministério que tutela a CP.

O executivo já deu luz verde para a contratação de mais 50 trabalhadores na EMEF, empresa de manutenção e equipamento ferroviário, mas pode não chegar, sobretudo no período de férias de verão. A situação da falta de comboios levou a um colapso nas ligações a norte das Caldas da Raínha. Segundo o Público nessa data só estava um comboio a assegurar o serviço quando as necessidades obrigavam a CP a recorrer a cinco. Em declarações à Rádio Renascença e à TSF, Oliveira Martins considerou que a empresa está “a sofrer as dores do crescimento”.

“A procura também tem aumentado, e este umento de procura reflete-se nestas dores de crescimento por parte da CP. Há uma necessidade de ajustamento. Há dados que têm de ser tidos em conta, por um lado o desinvestimento, que é um dado negativo, mas por outro o dado positivo da procura, que reflete que os passageiros procuram mais o modo ferroviário para se deslocar”, disse o governante, citado pela Rádio Renascença.

Num debate sobre o futuro dos transportes públicos, no Parlamento, o presidente da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), João Carvalho,considerrou que “a situação não é boa”, mas Portugal não é a Alemanha. “O estágio que nós estamos nos metros, na Carris, tenhamos todos consciência: A nossa super- estrutura não é famosa. A situação não é boa. Tenhamos consciência de que a situação é o que é, mas o nosso estágio não é uma Alemanha”.

O PSD questionou, entretanto, o governo sobre a substitução de carruagens em serviços de comboios inter-cidades por comboios regionais numa pergunta entregue na Assembleia.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×